Para o segundinho

Desde que Cecilia nasceu, por mais bem informada que eu estivesse, errei milhares de vezes, com pequenas coisas, com coisas mais importantes, enfim, num esquema total de tentativa e erro. Acredito que com a maioria das mães de primeira viagem seja assim.
E a cada erro eu pensava comigo: “Juro que não vou errar isso de novo quando vier o segundinho!!”. E também gastei muita energia preocupada com coisas simples.
Bom, por isso crio esse post, que provavelmente será o primeiro de uma série, como forma de guardar todas as dicas que a vivência me proporciona para não errar de novo. E para, talvez, ajudar a outras mães de primeira viagem também.

Na maternidade:
– Não quero que o bebê saia de perto de mim nem por 1 segundo sequer! Deixei Cecilia ir pro berçário tomar a vitamina K e a “graciosa” enfermeira segurou ela lá por 40min sem motivo algum. Não se repetirá!
– Não deixarei que a “graciosa” enfermeira faça a primeira troca de fraldas, pois a maldita emplastrou Cecilia de creme contra assaduras que demorou semanas pra sair. Não, não vou deixar.

Primeiros dias em casa:
– Se estiver friozinho, o primeiro banho pode esperar.
– Quando for rolar, não vou molhar o umbigo. Isso deixa ele com aspecto de podre, com cheiro ruim, e isso não combina nada com um bebezinho recém-nascido lindo. Dá pra ser um banhinho meio de gato tranquilo. O recém-nascido é um ser muito limpinho.
– Ainda sobre o banho, recém-nascidos sentem frio. Muito frio! Então é legal enrolá-lo numa toalha, no estilo pacotinho, e lavar a cabecinha dele na pia antes de colocar na banheirinha ou balde. Isso encurta o tempo de banho e mantém ele confortável. Até hoje lavamos a cabecinha da Cecilia na pia e ela adora!
– Achamos body+calça mais prático que macacão. E usamos mais  bodies de manga curta do que de manga comprida.

Sobre o sono:
– Bebês recém-nascidos dormem bastante. Isso pode ser ótimo, mas não vou deixar passar mais de 3h como deixei acontecer com a Cecilia. Ela não teve problemas específicos por isso, mas pode acontecer do bebê ficar com hipoglicemia. Fora que é importante que o bebê fique bastante no peito pra estimular adequadamente a descida do leite.
– Vou usar o bercinho acoplado à cama desde o início! É a melhor coisa que tem! O meu é esse aqui.

Sobre amamentação:

Esse foi o ponto crucial, vide nossa saga.
– Tem que fazer cocô amarelo logo que descer o leite!!! Se não fizer, vou procurar ajuda imediatamente!!
– Provavelmente vou ter me esquecido dos detalhes da pega correta e tal, então acho que chamarei uma consultora de amamentação em casa logo que chegarmos da maternidade.

Passeios:
– Vou comprar um carrinho e um bebê conforto especialmente legais para recém-nascidos. Isso atravancou nossas primeiras saídas, pois o bebê conforto ficava enooorme e o carrinho idem. Tentamos todas as gambiarras, forramos com capas, colchonetes e etc, mas não era legal. Ficamos sem jeito, com medo de sair, era sempre um estresse. No próximo não tem erro!

Eu
– Juro que vou segurar as rédeas do ganho de peso durante a gestação! Juro!!! Estou com 8kgs a mais que não me deixam por nada. E mulher amamentando não pode fazer dieta, né?
– Roupa boa é aquela que não marca a barriga, que dá pra puxar o decote e colocar o peito em ação rápido e sem ter que ficar forçando. O resto vai ficar encostado no guarda-roupa por uns dois anos. É isso.
– O cabelo cai. Muito. E é normal.
– Lembrar de comer muita fibra e beber muita água. Pós-parto não é mole…

Acho que por hora é isso.

Anúncios