Sobre cosméticos e segurança

Fazia tempo que eu queria me aprofundar nesse assunto, mas por falta de tempo (e por certo receio), acabava adiando. Fato é que adoro cosméticos e os uso o tempo todo. Procuro seguir o caminho do meio, usando, na maior parte do tempo, produtinhos do bem, mas uso também produtinhos do mal, como todos nós. É difícil escapar, porque toda a indústria cosmética que conhecemos hoje foi desenvolvida na dependência de substâncias muito perigosas.
Da mesma forma que cuidamos da nossa alimentação, está na hora de começar a cuidar do que usamos na pele, cabelo e unhas. Acontece que mudar nossos “hábitos cosméticos” pode ser mais difícil até que mudar os hábitos alimentares…

Eu ainda pretendo desenvolver bastante esse assunto aqui, pois a pesquisa está apenas começando.
Pra começar, seguem alguns links com muitas informações sobre o assunto. São sites gringos, falando de produtos gringos, mas aos quais temos acesso aqui no Brasil.

http://safecosmetics.org/
http://www.ewg.org/skindeep/ – esse tem uma lista gigantesca, separada por tipo de cosmético (maquiagem, cabelo, pele, unhas, etc), e cada um recebe uma nota de acordo com o grau de toxicidade.
http://www.ewg.org/chemindex/term/484 – listagem da maioria dos produtos químicos encontrados em cosméticos
– Um excelente filme sobre o assunto

É importante re-afirmar que não estou pregando nenhum radicalismo. Acho que pra tudo existe um meio termo e, através da pesquisa e do conhecimento, vamos encontrá-lo.

Em breve eu volto com informações mais precisas sobre produtos utilizados aqui no Brasil.


Produtinhos do bem – óleos

O mundo está tão cheio de corantes, aromatizantes e etc que ultimamente tenho sentido necessidade de dar uma limpada nessa coisa toda. Nessa série “produtinhos do bem”, vou falar sobre alguns que fui descobrindo pelo caminho. Pra começar o assunto, dois óleos espetaculares.

– Óleo Dersani – trata-se de um maravilhoso composto de ácidos graxos essencias, sem parabenos, corantes, aromatizantes, umectantes e afins. É mais conhecido em hospitais, pois é muito usado no tratamento de úlceras de decúbito (escaras), mas na verdade é um bálsamo para a pele sensível. Pode passar em assaduras de neném (e de gente grande também), em queimaduras de sol, após a depilação, em pele ressecada (pés, joelhos, cotovelos, cutículas), por aí vai. Uma maravilha!

– Óleo de Lavanda Weleda (Lavender relaxing body oil) –  esse foi uma grande descoberta.  Pode ser usado para massagem e/ou no lugar do creme hidratante, após o banho. É um óleo denso, meio difícil de espalhar, mas deixa uma sensação boa na pele ressecada, de lubrificação e proteção. Fora o cheiro fresquinho e delicado de lavanda. Mais um produtinho natureba, sem aditivos do mal. Tenho usado direto esse. Adoro!

Dersani e Weleda lavender relaxing body oil

Quem quiser saber mais….

Dersani – http://saniplan.com.br/produtos/dersani/

Óleo Weleda – http://www.weleda.com.br/produtos/cosmeticos/cosmeticos_3.asp?id=61&descricao=%C3%93leo%20de%20Lavanda


Os cabelos agradecem

And now for something completely different….

Bom, tenho uma história e tanto com meus cabelos.

Aos 13 resolvi pintar de vermelho, com henna, e ficou lindo. Mas fiz isso até os 18 e o cabelo foi ficando grosso e ressecado. Parei de pintar, mas o dano ficou.

Depois de uns 5 anos acabei resolvendo pintar de novo de vermelho (adooorooo), mas com tonalizante. Pra quê?!?! O cabelo ficou esturricado, coitado…

Bom, depois de mais 2 anos pintando, parei novamente, dessa vez decidida a recuperar completamente meus fios, que estavam longos e bem castigadinhos. Claro que resolvi cortar também, pra dar aquela sensação de que estava progredindo mais rápido. Aí, uma cabeleireira muito “habilidosa” tascou navalhete por todo meu cabelo, deixando ele ralo, com aspecto mais ressecado ainda e, eu, com cara de doente. Fui obrigada a tosar. Mas tosar mesmo!

Meus cabelos super curtos e secos armavam que era um horror. Uma verdadeira juba.
Nesse ponto eu chego onde queria chegar no título do post: minha salvação, a linha reparadora aromacologia da L’Occitane!

A linha reparadora aromacologia completa

Comecei usando só a máscara, que é espetacular. Na primeira semana meu cabelo assentou como se tivesse feito uma progressiva sem chapa. Depois incluí o shampoo, o serum hidratante (num. 4)  e, atualmente, já meio de alta, estou usando diariamente o shampoo + o condicionador e, semanalmente, a máscara pra dar aquela “hidratada” mais potente.

Uma pequena explicação sobre o funcionamento dessas fórmulas capilares: Coloquei “hidratada” assim, entre aspas, porque a palavra “hidratar” significa adicionar água, e não é o que acontece quando fazemos esse tipo de tratamento no cabelo. O que acontede de verdade é uma mistura de fechamento das cutículas, por conta do baixo pH (acidez) das fórmulas, somado à criação de uma película de gordura em torno de cada fio, o que acaba “doando” um certo peso a mais ao cabelo. Com o uso contínuo, essa película e as cutículas fechadas vão poupando os fios das agressões do dia a dia e tornando-o, de fato, mais saudável.

Enfim, são produtos caros, mas valem o investimento, excelentes pra quem tem cabelo ressecado e armado.
Só não são indicados pra quem tem fios oleosos e/ou muito fininhos. Iam ficar lambidos…